Diabetes Gestacional: Você sabe quais são os riscos?

Diabetes Gestacional: Você sabe quais são os riscos?

diabetes gestacional

Diabetes Gestacional: quais seriam os riscos para as mães e para os bebês?

Não é novidade nenhuma que uma mãe é extremamente preocupada com a saúde do seu filho…

Mas e durante a gestação? E se ocorrer a chamada diabetes gestacional?

Esse cuidado fica ainda maior!

Confira nesse artigo do blog iGlicho o que seria a diabetes gestacional e quais são os riscos dela.

O que é a Diabetes Gestacional?

Durante os nove meses da gravidez ocorrem uma série de alterações hormonais.

Ao longo desse período, o corpo da gestante tende a aumentar, por exemplo, a produção de insulina.

E é exatamente aqui que está a causa desse tipo de diabetes.

Essa situação é quase como se fosse uma batalha entre mãe e filho. De um lado o organismo da criança exige uma demanda alta de açúcar para garantir o seu desenvolvimento.

Do outro, o corpo da mãe responde com insulina.

Cada um buscando garantir aquilo que precisa.

O responsável pela regulação da insulina no corpo humano é o pâncreas. E em condições normais ele dá conta…

Acontece que na gestação outros hormônios são liberados pela placenta e acabam atrapalhando o processo.

E esses outros hormônios forçam o pâncreas materno a trabalhar ainda mais para manter os níveis da substância em ordem.

É daí que surge o diabetes gestacional.

Mas quais são os riscos?

Qualquer mulher pode ter diabetes gestacional, mas a complicação é mais comum naquelas que estão acima do peso, são mais velhas, têm ovários policísticos, hipertensão arterial, triglicérides e colesterol altos, estão em uma gestação múltipla (gêmeos), tiveram gravidez prévia com a doença ou de bebês grandes (mais de 4 kg) ou ainda têm histórico familiar de diabetes ou diabetes gestacional.

E para os filhos pode haver complicações quando ainda estão dentro do útero ou após o nascimento.

Pode haver aumento no nível de insulina no corpo do bebê e isso acaba sobrecarregando o pâncreas. E com isso não consegue liberar hormônio suficiente para transformar glicose em energia.

As sobras de açúcar então viram gordura e a criança passa a ganhar peso além da conta.

Seu excesso promove crescimento exagerado do corpo e dos órgãos, aumento da gordura corporal e da distância entre os ombros do feto.

São casos de bebês macrossômicos (quando a criança nasce pesando 4 kg ou mais), o que pode dificultar o parto.

FONTE:

[1] – https://www.uol.com.br/vivabem/colunas/paulo-chaccur/2021/04/25/diabetes-gestacional-quais-sao-os-riscos-para-mae-e-para-o-bebe.htm

Compartilhe:
0
20
Pin Share20

Posts Relacionados

Fazer comentário

Recent Posts